Sargento é morto em tentativa de resgate na Barreto Campelo em Itamaracá - Portal Cabuloso

Breaking

Breaking News


quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Sargento é morto em tentativa de resgate na Barreto Campelo em Itamaracá

Um sargento da Polícia Militar foi baleado e morto durante uma tentativa de resgate de detentos na Penitenciária Professor Barreto Campelo, em Itamaracá, na Região Metropolitana do Recife, na noite desta quarta-feira (13). A PM foi acionada por volta das 21h10, e a situação só foi controlada duas horas depois. Um helicóptero da Secretaria de Defesa Social com canhão de luz foi utilizado para procurar os suspeitos. Informações não oficiais apontam que cerca de 20 homens teriam tentado retirar os presos da unidade, mas nenhuma fuga foi confirmada. Uma árvore chegou a ser derrubada na estrada para impedir a chegada de reforço policial e captura do bando.

O militar, identificado como Rinaldo Campelo, foi socorrido para o Hospital Municipal de Itamaracá, mas não resistiu. Ele já foi lotado na Guarda Patrimonial e morava no município de Abreu e Lima.

A Secretaria Executiva de Ressocialização de Pernambuco adiantou que foram acionados o Batalhão de Choque, a Gerência de Operações e Segurança (GOS/Seres) e a Polícia Militar para conter o tumulto. “No momento (23h06), a situação está controlada e não há informação de fugitivos”. A Seres informou também que seguirá com a apuração do caso.

O delegado João Britto, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), foi à penitenciária para as investigações iniciais sobre a morte do sargento.

Tumultos recorrentes

Ações violentas na Penitenciária Barreto Campelo não são novidade. Em outubro passado, dois detentos foram mortos e um ficou ferido também numa noite de quarta-feira (24). Armados com revólveres, pistolas e até mesmo com um fuzil, os presos receberam os policiais que tentavam conter o tumulto interno a tiros.

A briga entre os reeducandos começou às 18h e só foi controlada às 20h. De acordo com a Secretaria de Ressocialização de Pernambuco, o motim não foi classificado como rebelião e não houve tentativa de fuga. O Batalhão de Choque e o Bope entraram na unidade prisional para apreender os armamentos, mas só recolheram um revólver calibre 38.

OP9

Nenhum comentário:

Postar um comentário