Dia D de vacinação antirrábica é neste sábado; veja locais - Portal Cabuloso

Breaking

Breaking News


sábado, 22 de setembro de 2018

Dia D de vacinação antirrábica é neste sábado; veja locais

Com uma meta de imunizar mais de 700 mil cães e gatos, o Dia D da Campanha de Vacinação Contra a Raiva Animal acontece neste sábado (22) em todos os 223 municípios da Paraíba. Veja os postos de saúde participantes abaixo.

De acordo com o chefe do Núcleo de Controle de Zoonoses da Secretaria de Estado da Saúde (SES), Francisco de Assis Azevedo, todos os municípios irão trabalhar com postos fixos ou volantes, segundo o critério de cada Secretaria, das 8h às 17h.

Segundo Francisco, a campanha já começou em alguns locais, especialmente na zona rural e em áreas de difícil acesso. “Os agentes dessas áreas estão fazendo um sistema de trabalho de casa em casa, para no dia 22 trabalhar apenas com os postos fixos nas sedes dos municípios”, acrescentou.

A vacinação se faz necessária dentro do processo de eliminação da raiva humana transmitida por cães e gatos no círculo urbano, já que estes animais são os principais focos da doença. Deverão ser vacinados todos os cães e gatos a partir de três meses de idade. A meta é imunizar, ao todo, 727.372 animais – sendo 528.935 cães e 198.437 gatos. Após o Dia D, a SES estabelece o prazo de 30 dias para atingir as metas.

“A vacina não tem contraindicação. O animal pode ser gestante, pode estar amamentando, como também não há idade limite para ser vacinado”, orientou Francisco.

João Pessoa
Serão mais de 180 postos de imunização distribuídos por toda a cidade no período das 8h às 17h, incluindo o Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz), no bairro dos Bancários. Os locais em que os postos estão instalados podem ser conferidos aqui.

O proprietário deve levar o cartão de imunização do animal, mas aqueles que não tiverem o cartão também receberão o comprovante de vacinação. Caso seja a primeira vez em o que o animal será vacinado, o proprietário deve ficar em alerta para a segunda dose, que deve ser realizada após 30 dias.

Campina Grande
Os 85 pontos de vacinação espalhados pela cidade, incluindo os distritos, também vão estar abertos das 8h às 17h. O levantamento mostra que Campina Grande tem mais de 60 mil animais, sendo cerca de 41 mil cães e 19 mil gatos.

Até o momento o Centro de Zoonoses já vacinou cerca de 40% dos bichos com o trabalho na zona rural, que começou no fim de julho. Os donos dos animais devem levar o cartão de vacinação, mas se não portarem o documento, eles recebem um novo. Mesmo quem vacinou no ano anterior, deve vacinar novamente para que os bichos continuem protegidos. Cadelas e gatas prenhas devem tomar a vacina e animais doentes ou febris devem evitá-la.

Os donos devem levar os bichos portando guia e coleira. Os cães de grande porte com temperamento agressivo devem usar focinheira, atendendo à lei municipal que prevê o uso do item de segurança nestes animais.

Após o dia D, o Centro de Zoonoses, que funciona no bairro de Bodocongó, vai continuar ofertando a vacina de segunda a sexta-feira, das 7h às 11h e das 13h às 17h. “O procedimento é importante para garantir que a raiva animal continue sem ocorrência na nossa cidade, protegendo consequentemente a população da raiva humana”, disse o Coordenador do Centro de Zoonoses, Marinaldo Lima.

Cabedelo
Em Cabedelo, a mobilização será realizada em 17 pontos de vacinação espalhados pela cidade, das 8h às 17h. A meta é vacinar 7.680 animais, o que corresponde a 80% do contingente de cães e gatos do município. Veja, abaixo, os postos.

PSF Renascer III-II
PSF Renascer III-I
PSF Salinas
PSF Oceania
PSF Jacaré
PSF Recanto do Poço
PSF Intermares
PSF Ponta de Mato
PSF João Roberto
PSF Palmeiras
PSF Camalaú
PSF Manguinhos
PSF Jardins
Policlínica (Tenda)
Camboinha (Tenda)
Secretaria de Saúde (Tenda)
Coordenação de Zoonoses.
Conde
Durante todo o dia, as equipes do Departamento de Vigilância em Saúde estarão vacinando cães e gatos em três pontos de apoio: no Centro de Conde, na Praça Pedro Alves e em Jacumã e na Pousada, ao lado das Unidades Básicas de Saúde a partir das 08h e encerrando às 17h.

Na hora da vacinação, é necessário que os gatos estejam em caixas de transporte apropriadas e os cães com coleiras e guia. No caso de o animal estar estressado ou agressivo é importante que seja feito o uso da focinheira.

Patos
Em Patos, a campanha tem como referência as 40 Unidades Básicas de Saúde do município; veja abaixo.

DGA I

UBS – Diego Camboim (em frente à unidade)
Clube da Caixa (casa de Arlete)
UBS – Walter Ayres (Praça em frente à Igreja de São Francisco)
UBS – Manoel Pereira (em frente da unidade)
UBS – Aderban Martins (em frente à unidade)
UBS – José Maurício Cajuaz (Praça Jardim Queiroz)
UBS – Verônica Vieira (Praça Nossa Senhora de Fátima)
UBS – Maria Madalena do Espírito Santo (em frente à Unidade)
UBS – Rita Palmeira (em frente à Unidade)
UBS – Ernesto Soares (Praça Juá Doce)

DGA II

UBS – José de Oliveira PIO (em frente à Unidade)
UBS – Sebastiana Xavier (em frente à Unidade)
UBS – Pedro Firmino (Escola CAIC)
UBS – Doracy Brito (Escola Sabino Ferreira Freire)
UBS – Ana Raquel (Praça Perequeté)
UBS – Domiciano Vieira (em frente à Unidade)
UBS – Rosinha Xavier (Praça da Caixa D’água)
UBS – Dircé Xavier (Praça do Guedes)
UBS – Residencial Itatiunga (em frente à Unidade)

DGA III

Secretaria Municipal de Saúde
UBS – Sólon Medeiros (Praça ao lado da creche)
UBS – Horácio Nóbrega (Praça do São Sebastião)
UBS – Nabor Wanderley (em frente à Unidade)
UBS – Enaldo Torres (em frente à Unidade)
UBS – Ministro Ernani Sátyro (em frente à Unidade)
UBS – João Soares (em frente à Unidade)
Garagem da Gontijo (em frente à garagem

DGA IV

UBS – Osman Ayres (em frente à Unidade)
UBS – Carleusa Candeia (no DER)
UBS – Aderbal Martins (em frente à Unidade)
UBS – Metódio Leitão (em frente à Unidade)
UBS – Pedro Leandro (em frente à unidade)
Casa Grande (próximo ao conjunto dos Sapateiros)
UBS – Lauro Queiroz (Escola Manoel Roberto)
UBS – Maria Marques (CSU)
UBS – Geraldo Carvalho (Praça ao lado da Unidade)
UBS – Evaristo Guedes (em frente à unidade)
UBS – Yoyo Laureano (em frente à Unidade)

Monteiro
A ação começa às 8h e conta com postos de vacinação oferecidos em diferentes endereços da cidade e zona rural através dos Postos de Saúde da Família e sede da Vigilância em Saúde.

Após o ‘Dia D’, durante a semana, os Agentes Comunitários de Saúde conduzirão as equipes da zona rural para pontos estratégicos previamente marcados.

• Todos os cães devem estar com coleira e guia. A focinheira é obrigatória em animais bravos;

• Gatos são mais assustados e devem ser levados em caixas de transporte ou similar, evitando fugas ou acidentes;
A vacinação é gratuita e obrigatória para cães e gatos e a imunização é feita com seringas e agulhas descartáveis. O cartão é o documento que atesta a vacinação do animal contra a raiva, e é valido por um ano.

A doença

A raiva é uma doença infecciosa aguda, de etiologia viral, transmitida ao homem por meio da mordedura, arranhadura, lambedura de mucosas ou pele lesionada por animais raivosos, provocando uma encefalite viral aguda. A transmissão ocorre quando o vírus rábico existente na saliva do animal infectado penetra no organismo.

A doença acomete o sistema nervoso central, levando ao óbito após curta evolução. É letal em aproximadamente 100% dos casos, por ser causada por um vírus mortal, tanto para os homens quanto para os animais, e a única forma de evitá-la é pela vacinação anual, que não tem contra-indicação.

A raiva apresenta quatro ciclos de transmissão: no ciclo rural, os bovinos, ovinos, caprinos, suínos e equídeos são os principais elementos transmissores da raiva; no ciclo silvestre, as raposas, guaxinins, macacos e roedores têm maior destaque na transmissão da doença; no ciclo aéreo, os morcegos representam o maior perigo; e no ciclo urbano os principais elementos responsáveis pela manutenção do vírus rábico são os cães e gatos.

O que fazer em caso de ataque?

As pessoas devem ser vacinadas caso sejam agredidas por algum animal. Para receber a vacina, devem procurar o Centro Municipal de Imunização, no bairro da Torre. Já a vacina para animais (cães e gatos) deve ser aplicada no Centro de Vigilância Ambiental e Zoonoses (Cvaz) da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), localizado no bairro dos Bancários.

O chefe da Seção de Imunização da SMS, Fernando Virgolino, explica que é muito importante que o usuário procure a unidade de referência para vacinar o mais rápido possível, a profilaxia irá depender da localização do ferimento e se o animal é passível de observação. Alertamos ao usuário que não sacrifique o animal, pois essa atitude impossibilitará a observação animal.

“É importante que a pessoa agredida lave o ferimento com muita água e sabão e busque atendimento imediato. O animal doméstico deverá ser observado, pois caso o animal desapareça, morra ou se torne raivoso, há necessidade de informar ao profissional que realizou o atendimento antirrábico. Caso seja um animal de rua, a pessoa pode pedir para o Centro de Zoonoses para recolher esse animal que deverá ser observado por pelo menos 10 dias”, orienta Fernando Virgolino.

Ainda de acordo com Fernando, a profilaxia irá depender da localização da agressão e das condições de saúde do animal, o profissional do local de referência para a vacinação irá investigar o caso e avaliar o local da lesão, podendo ofertar vacina e o soro antirrábico, caso seja necessário.

O soro antirrábico é aplicado apenas no Hospital General Edson Ramalho. Mas para o usuário ter acesso ao soro, precisa primeiro procurar o Centro Municipal de Imunização, que dependendo do caso irá solicitar o soro e encaminhar o paciente ao hospital.

Nenhum comentário:

Postar um comentário