Guilherme Marinho recebe homenagem de colegas de escola - Portal Cabuloso

Breaking

Video of the Day


sexta-feira, 3 de agosto de 2018

Guilherme Marinho recebe homenagem de colegas de escola

O garoto Guilherme Marinho, que foi assassinado e teve o corpo encontrado em um matagal na região de Gramame, em João Pessoa, recebeu homenagem dos colegas da escola onde estudava.

Uma cerimônia foi realizada na escola Municipal Duque de Caxias no Costa e Silva na manhã desta sexta-feira (03).

Além dos colegas de classe, participaram do ato os professores e a mãe da criança.

“Foi muito bonito, cantaram músicas em homenagem a ele. A saudade é muito triste. Os colegas de sala dele disseram que sentem falta da brincadeira, da companhia. Ele era um menino bom”, disse dona Valdecine Marinho, mãe do garoto.

Relembre o caso -

No início da semana, o delegado Reinaldo Nóbrega, titular da Delegacia de Homicídios de João Pessoa, concedeu uma entrevista exclusiva ao programa Tambaú da Gente e falou sobre a investigação. Ele confirmou que um vizinho viu quando a criança foi levada nos braços.

“Ele [a testemunha] confirma que viu Guilherme saindo nos braços de um homem. Também deu as características aproximadas de um homem e disse que ele levou o menino em direção a uma mata. Essa mata, vai desbocar diretamente onde a ossada do menino foi encontrada. Foi na mesma direção”.

Inicialmente investigado como um simples desaparecimento, o caso foi reestruturado e, agora, é observado como homicídio depois que uma suposta marca de agressão foi localizada no crânio.

“A polícia trabalha no intuito de encontrar o autor do crime. O caso Guilherme chama muito atenção dos agentes que estão habituados a trabalhar com desaparecimentos”, completou.

Os restos mortais de Guilherme Marinho foram encontrados durante as férias do delegado Reinaldo Nóbrega que, desde seu retorno às atividades, coletou informações e deve adiantar processos facilitadores destinados à localização do suposto ou dos supostos responsáveis pelo crime.

“É importante ressaltar que recebemos uma demanda muito grande de denúncias sobre pessoas desaparecidas ou desencontradas. Mas, mesmo assim, ainda é muito pequeno o percentual daqueles casos que derivam para um fato criminoso. No caso Guilherme, desde o dia 10 de fevereiro a delegacia se preocupou em dar o respaldo necessário para localização das informações e elucidação do então agora crime. Mudamos o foco e vamos tratar o caso como o homicídio propriamente”.

T5

Nenhum comentário:

Postar um comentário