Grávidas denunciam falta de medicamento na rede municipal de JP - Portal Cabuloso

Breaking

Breaking News


segunda-feira, 20 de agosto de 2018

Grávidas denunciam falta de medicamento na rede municipal de JP

Um grupo formado por mulheres grávidas entrou em contato com a Rede Tambaú de Comunicação (RTC) nesta segunda-feira (20), para relatar dificuldades ao encontrar um medicamento na rede municipal de saúde.

O Clexane é utilizado por gestantes com Trombofilia, evento popularmente conhecido como ‘sangue grosso’, o que favorece a ocorrência de coágulos, entupimento de veias e artérias e até o Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Questionada, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) emitiu uma nota em que esclarece a situação.

Confira na íntegra:

"A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) esclarece que o desabastecimento do medicamento Clexane (Enoxaparina Sódica) ocorreu devido ao aumento da demanda global, ocasionando, assim, restrições na quantidade importada e consequente oscilação na disponibilidade do produto no mercado, por parte da fabricante do medicamento.

O item faz parte do elenco da Gerência de Medicamentos e Assistência Farmacêutica do município de João Pessoa (Gemaf), de forma complementar a Rename/Remume para atender as demandas de uso exclusivo da rede hospitalar e as gestantes de alto risco, regulada por meio de abertura de processo administrativo e nota técnica que regula a dispensação às usuárias cadastradas na SMS. O desabastecimento do produto no mercado é nacional, atingindo consequentemente João Pessoa; fato este, justificado pelo laboratório SANOFI produtor do Clexane, marca atualmente adquirida pela Prefeitura Municipal de João Pessoa.

A empresa informou que, a regularização do fornecimento está prevista para acontecer até o final deste mês de agosto. Na semana passada, a Secretaria recebeu um pequeno quantitativo do medicamento, porém insuficiente para atender as demandas. Assim que laboratório normalizar o fornecimento do medicamento, a Secretaria voltará a dispensar a Enoxaparina Sódica às suas usuárias.

Ainda, a fim de minimizar os prejuízos, a SMS sugere às usuárias do medicamento que procurem seus médicos para orientações sobre o tratamento e possibilidade de uso de outros medicamentos, uma vez que existem alternativas terapêuticas para tratar casos de trombofilia".

Reportagem de Karine Tenório do Tambaú da Gente

T5

Nenhum comentário:

Postar um comentário